Sexta-feira, 25 de Junho de 2010
O Relógio

De uma forma muito simples, um relógio é um instrumento que permite medir intervalos de tempo. A origem desta palavra é o latim horologium, que também significa relógio. 
Este dispositivo surgiu devido à necessidade de calcular períodos de tempo mais pequenos que os dias, mês lunar e ano. Como tal é uma das invenções mais antigas da humanidade.


Um dos primeiros relógios a serem utilizados foi o relógio do sol que utilizava a luz diurna para calcular intervalos de tempo. Foi utilizado até há relativamente pouco tempo, antes da invenção de outros mecanismos. Claro que tem como limitação ser necessário que não haja nebulosidade que cubra o astro rei e obviamente não funciona no período da noite. Assim era necessário que existissem outros mecanismos que ultrapassassem estas limitações. Foram por isso criadas outras formas de medir o tempo. Entre elas podemos encontrar as velas e incenso. Ao arderem a uma velocidade conhecida e mais ou menos constante era possível conhecer os intervalos de tempo que levava determinada quantidade de vela ou incenso a arder. Um outro mecanismo há muito utilizado é a ampulheta. Neste caso é colocada areia num recipiente que tem um pequeno orifício por onde passa a areia. Como se trata de uma velocidade controlada, modificando o tamanho do orifício e a quantidade de areia era possível saber quanto tempo tinha passado desde o primeiro momento em que a areia começou a atravessar o orifício.


A clepsidra foi um outro mecanismo inventado para medir o tempo. A clepsidra é um relógio de água. O mecanismo é semelhante ao de uma ampulheta. Existem dois recipientes, um superior e outro inferior, em que o inferior possui uma escala graduada e se encontra inicialmente vazio. Ao colocar água no recipiente superior, este vai gradualmente para o recipiente inferior. Ao observar a escala é possível saber que tempo é que decorreu desde o primeiro momento em que a água começou a cair no recipiente inferior. Juntamente com o relógio de sol, este é um dos mecanismos mais antigos utilizados para medir o tempo. Não se sabe exactamente quando é que começou a ser utilizado, mas existem vestígios deste tipo de relógio do século XVI a.C., na Babilónia e Egipto. Este relógio sofreu alguns desenvolvimentos ao longo dos tempos, quer na Grécia, quer na China.


Mas não havia uma grande necessidade de ter aparelhos que fossem muito precisos, ou portáteis, se bem que foram sendo melhorados. Os relógios eram utilizados principalmente na astronomia e astrologia e para saber o tempo decorrido em determinadas actividades. Mas com o surgimento da revolução industrial surge também a necessidade de controlar de forma precisa o número de horas de trabalho levado a cabo pelos trabalhadores. Esta necessidade fez com que se procurasse criar mecanismos cada vez mais precisos e funcionais e não os métodos tradicionais usados até então. Para além do facto de ser necessário um mecanismo relativamente portátil que permitisse o seu uso fácil.


Isto não quer dizer que não existissem mecanismos antes deste período. Foram aproveitados os relógios utilizados anteriormente e eram utilizados sinos que indicavam que se deveria dar inicio a alguma actividade ou parar algo que se estava a fazer. Este sinos eram tocados manualmente, havendo um controlo do tempo através de aparelhos de medição do tempo, ou accionados por algum mecanismo mecânico como pesos ou rodas. Existem muitas referências a relógios no século XIII e por isso é possível que tenha sido inventado nesta época mecanismos de medição de tempo. Começa aqui a utilização do mecanismo oscilatório o que permitiu um grande avanço na criação de relógios.


Mas a importância dos relógios não era apenas devido à sua capacidade de medir períodos de tempo específicos. Também são muito importantes na navegação. Não é difícil calcular a latitude, mas para calcular a latitude é necessário uma medição de tempo precisa. Também este factor levou ao desenvolvimento de relógios mais precisos que não fossem afectados pelos movimentos do próprio navio em alto mar.


No século XIV os relógios já apresentavam os mecanismos básicos de um relógio mas mesmo assim havia a necessidade de criar relógios mais pequenos e de aumentar a precisão dos relógios existentes. Os relógios de mola surgem no século XVI. Mas a invenção que permitiu uma maior precisão foi a invenção do pêndulo, ao ser determinado matematicamente a relação entre o movimento do pêndulo e o tempo. Era um relógio relativamente preciso mas ainda era necessário resolver o problema da navegação, visto que os movimentos do barco iriam alterar os movimentos do pêndulo, deixando este de ter a precisão requerida nos cálculos necessários para determinar a posição do barco.


A tentativa de criar relógios cada vez mais precisos nunca parou. Cada vez mais se foi aperfeiçoando os mecanismos. Foi aperfeiçoado o sistema de pêndulo. Só mais tarde é que surgem os relógios de quartzo que utilizam um cristal de quartzo e um contador de frequência para calcular o tempo. Actualmente também são utilizados relógios atómicos que usam as transições de energia de determinados elementos como o césio, rubídio ou hidrogénio que através de um oscilador microondas calcula o tempo. São os relógios mais precisos e os relógios de césio são os relógios utilizados para oficialmente determinar as horas.

fonte:www.sobre.com.pt



publicado por adm às 23:13
link do post | comentar | favorito
|

.pesquisar
 
.posts recentes

. Como Surgiram as Biciclet...

. As 10 tecnologias mais in...

. A Tomografia Computadoriz...

. O Termômetro

. A Ponte Pênsil

. O Ar-Condicionado

. O Radar

. O Braille

. O Microscópio

. O Cronometro

. O Relógio

. O Elevador

. Os Arranha-Céus

. O Estetoscópio

. As Embarcações de Madeira...

. A Bússola

. O Aparelho de Raios X

. A pilha

. A Anestesia

. A Locomotiva

.subscrever feeds
.arquivos

. Janeiro 2011

. Junho 2010

.links
.tags

. todas as tags

Web Stats